Filme: Star Trek Into the Darkness

Share

star-trek-into-darkness Puutz…  prometi não escrever nada sobre isso, mas não deu… gosto demais de Star Trek para deixar isso passar em branco tanto que tive que reclamar pois o filme é uma sequência de erros. Tanto que recomendo que ele deva ser assistido somente por fãs revoltados pois tenho medo que pessoas que não conheçam o cenário achem Star Trek legal, través desse filme.

 Na boa, dar a direção do Star Trek para alguém que não conhece nada do universo é como deixar alguém escrever Star Trek Voyager novamente… é muito sem noção, sem respeitar nada dos enredos originais. O desconhecimento do universo de Star Trek ou mesmo sci-fi cria pessoas que ficam falando verborreias científicas sem sentido. Em alguns casos isso ica bom, como no caso daquele filme… onde tem os atores que controlam a nave mas que não sabem nada sobre espaço, ou física ou mesmo medicina: Galaxy Quest – Heróis Fora De Órbita. Se você não conhece nada de Star Trek, nem leia esse post, apenas não assista, mas se conhece, sugiro ficar aqui, ler um pouco e depois assistir decidir se vai ou não assistir. Bem, vamos lá:

Primeiro: foda-se a primeira diretriz! A primeira diretriz que prega a não interferência em culturas tecnologicamente atrasadas não é uma série de burocracias a serem respeitadas e sim uma filosofia mãe da frota estelar. A história da terra sempre mostrou que o contato de uma cultura superior com uma inferior nunca resultou em boa coisa, por isso a regra é não interferir. Ok, o Kirk é o personagem conhecido por não ser o maior respeitador de regras, para ele violar essa diretriz fundamental para é algo comum… mas o SPOCK?? Porra, o cara ainda é um Vulcano (ainda que 50%)… não acredito que ele se deixou ser enrolado que estaria salvando a cultura com o impedimento da explosão do vulcão… ou ele aceitaria estar violando a primeira diretriz, ou ele se oporia em largar o tal dispositivo de fusão fria no vulcão. Mas no filme, parece que o Spock comprou o discurso do Kirk de esse é um sacrifício válido pelo bem maior. Então o Spock reclama deles SEM QUER VIOLAREM a primeira diretriz, mas o fato do jovem meio-vulcano estar estuprando a diretriz… isso ninguém nota. Hehehe.

 Ok, partindo dessa cena, temos a Enterprise embaixo d’água. MUITO BOM… muito bom!!! FORA a recomendação do Engenheiro Cheffe Scott que a nave estaria enferrujando o casco de dititânio (material fictício, mas pelo nome deve-se imaginar que ele é resistente) por ter ficado dois dias embaixo da água do mar e…. PAUSA!

 O casco é de titânio, mas os pregos da nave não por isso a preocupação do Scott! (cortesia da minha esposa essa).

 Mas, fora isso, tem o lance da Enterprise ter entrado na atmosfera do planeta e depois ter ido embora voando tranquilamente causa pânico no Trekkers. Em qualquer manual de RPG ou de Star Trek, ou mesmo se o cara tivesse lido o livro do Shane Johnson (Mr Scott’s Guide to Enterprise) ou a Física de Star Trek (M.L. Krawss) o cara saberia que a Enterprise não é capaz de entrar na Atmosfera e sair da mesma. Essa cena foi uma enorme viagem. Naves do porto da Enterprise (heavy cruiser) são montadas em uma doca espacial e reparadas em docas espaciais. Para ir ao planeta sem ser de teletransporte, existem os módulos auxiliares que fazem essa tarefa. Sem contar que até agora não entendi por que a nave não ficou na órbita do planeta onde ela não seria MESMO identificada por uma cultura tão primitiva.

 O Spock tava muito fora da casinha desde o treco de fusão fria. Não vou entrar no fato do Spock estar extremamente emotivo, pois é um universo paralelo onde o comportamento original dos personagens podem mudar, então tudo bem… mas esse meio-vulcano sentimental está chato pra caramba. A Uhurra tá uma legítima bitch dizendo que não tem nada de errado em ela trabalhar com o Spockk mas quando começa a lavar roupa suja não cala a boca, mas, sempre haverá os que defendem o comportamento mais humanos dos personagens, então vou tentar focar somente na tecnologia.

 Seguindo o curso, depois de sodomizar a diretriz eles seguem para a terra onde haverá um julgamento punindo nossos heróis sobre essa violação. Óbvio que o julgamento acaba em acaba em pizza, no fim não houve julgamento devido a problemas de segurança privada na frota, então todas as naves da terra são solicitadas pois um cara realizou um atentado… beleza… até então foi legal, emocionante… Exceto que ao fugir da terra, o cara pega um teletransporte PORTÁTIL… e se teletransporta da TERRA (SOL III para os mais íntimos) e vai direto para Qo’nos (Cronos).WTF?? Porra O CARA VIAJOU QUASE 180 ANOS-LUZ DE TELETRANSPORTE! Pra quê a Frota Estelar precisa de Naves com Teletransportes tão eficientes assim?? Basta apenas escolher um ponto da galáxia e ir pulando de planeta em planeta para atravessar o próprio espaço da federação!! E daí que de um lado a outro da Galáxia tem somente 100.000 anos, que cada quadrante tem 50.000 anos luz e que um setor = 20 anos luz… o que diabos é um ano-luz?? Acho que essa última pergunta tinha que ser feita para os diretores e escritores desse filme.

 Estou quase em ponto de me calar, mas antes reitero que o filme segue com uma série de erros como ressucitar o Kirk com os tecidos regenerativos do Khan. O que é um taboo enorme em Star Trek pois agora com essa tecnologia simples, eles podem criar a vida, que era uma das poucas coisas que a medicina não sabia em Star Trek, mas foda-se pois na mão do J.J. Abrahans pode! E, por fim, o jeito que eles tratam a radiação, pois o corpo do Kirk morre por ser exposto a uma radiação violenta sem fritar o cérebro dele, sair sangue pelo ânus e todos os demais orifícios e por aí vai…(aff! Que nojo!).

 Bom… esse post de maneira alguma foi feito para glorificar ou agregar alguma experiência útil a esse novo universo. Com todos os defeitos das décadas passadas, ainda prefiro um pouco daquele universo utópico, porém cheio de problemas solucionáveis aos quais eu cresci assistindo Star Trek, o meu fim da picada vai ser o dia em que quiserem reescrever histórias do meu capitão favorito de Jornada nas Estrelas: Jean Luc Piccard.

Para quem ainda quiser saber mais:

Wikipedia

IMDB

Share