O Evento de Tunguska

Share

Ataque alienígena? Experimento russo da primeira guerra (esse eu forcei)? Meteoro?? Concentração de metano (forcei novamente)?? Alienígenas (para variar)?? O Evento de Tunguska. é um caso antigo que gerou diversas especulações pelos estudiosos da astronomia.

 1908-bomba-cosmica-sobre-tunguska-por-don-daviesEm 1908, no dia 30 de junho ocorreu na Sibéria em uma região desabitada, próximo do rio Podkamennaya Tunguska, uma violenta explosão que devastou milhares de quilômetros quadrados de mata. A explosão ocorreu às 07h14 hora local. Ele foi acompanhado por um forte terremoto, que foi registrado pela maioria das estações sismológicas do mundo, e as ondas do ar. Notou-se que o eco da explosão em Tunguska foi ouvida mais de 800 quilômetros de distância do epicentro. A explosão teria sido suficiente para destruir uma grande área metropolitana. A explosão derrubou cerca de 80 milhões de árvores em uma área e 2150 quilômetros quadrados e estima-se que tenha provocado um terremoto de 5 graus na escala Richter. Logo depois, uma tempestade magnética começou que durou 5 horas.

 Veja como este evento é descrito por uma testemunha, morador Semyon Semenov, um fazendeiro que trabalhava em um isolado posto comercial da região:

 “Eu estava balançando meu machado quando o céu, em direção norte dividiu-se em duas partes. Um fogo que apareceu em cima da floresta e cobriu toda a parte norte do céu. Naquele momento eu me senti tão quente, como se minha camisa estava em chamas. Queria rasgar e jogar fora a minha camisa, mas o céu se fechou e houve um golpe forte. Eu cai e fiquei na varanda espantado.
 Depois do barulho, veio uma batida, como se pedras estavam caindo do céu ou se uma arma tivesse disparado. A terra tremeu, e quando eu estava no chão, eu temia que as rochas fossem quebrar minha cabeça. Na altura em que o céu se abriu, um vento quente varreu a partir do norte, como o de um canhão, o que deixou marcas no solo na forma de ondas, faixas. Em seguida, percebi que muitas das janelas tinham sido quebradas, e a aba de ferro para a fechadura da porta do celeiro estava quebrada.”

tunguska2 Conforme dito acima, mais tarde na mesma noite, tempestades magnéticas ocorreram na região e puderam ser observadas em diversos pontos da Europa. Um brilho extraordinariamente colorido no crepúsculo pudera ser observado porem não era uma aurora boreal. Diversos relatos de moradores de quilômetros de distância foram registrados de abalos sísmicos fortes o suficiente para derrubar um homem do cavalo ou jogar um pescador no mar.

 Pela observação do Evento, astrônomos franceses sugeriram naquele mesmo ano que poderia ter sido um corpo celeste que chocou-se na região. Muitos cientistas da época apoiaram a teoria, porém somente em 1921 foi enviada a primeira expedição para descobrir o que houve mas não conseguiram localizar o local da queda ou melhor, a cratera que seria formada pelo impacto. Só em 1927, uma equipe de pesquisa liderada por Leonid A. Kulik foi capaz de alcançar o epicentro da explosão. A coisa mais interessante é que eles não encontraram uma cratera deixada pelo impacto de um meteorito na Terra. Outra raridade do evento Tunguska foi que a floresta foi derrubada por uma grande área perto do local presumido de um meteorito, mas no epicentro da explosão que permaneceu de pé. Parecia que o “alien” explodiu no ar e não atingem a superfície do planeta. Sinistro não?

Tunguska-420x405Na  ocasião, mais de 1.000 especialistas do Observatório de  Irkutsk  observaram a queda sobre a taiga siberiana. Eles deixaram registro das surpreendentes “manobras” que o objeto realizava ao longo de sua trajetória,  como se estivesse sendo pilotado. A teoria particular de Yuri Labvin, que dirigiu esta última expedição, sugere que o fenômeno foi originado por uma “Nave Interplanetária Extraterrestre”. Estima-se que a energia da explosão está entre 5 megatons e 30 megatons de TNT, com 10–15 megatons sendo o mais provável. Isso é aproximadamente igual a 1000 vezes a bomba lançada em Hiroshima na segunda guerra mundial e aproximadamente um terço da bomba Tsar, a mais poderosa arma nuclear já detonada.

Seja o que for, diversas alternativas foram dadas além do alienígena, até de com o evento do meteoro a região ter sido atingida por um mini-buraco negro temporário (sim eles existem) e ter sugado o corpo após a explosão. Explosão de antimatéria com matéria (os viciados em Star Trek adoraram essa), mas a segunda mais defendida (perdendo somente para o meteorito) seria a de que uma nave espacial teria colidido com um meteoro em rota de colisão com a Terra no ano de 1908, causando a explosão que teria provocado a devastação em Tunguska. Lavbin alega que há supostas impressões em pedras de quartzo que não podem ser feitas com a nossa tecnologia.

A principal dificuldade com a hipótese do asteroide é que um objeto rochoso teria produzido uma grande cratera num impacto tão energético, e nenhuma cratera foi encontrada. Hipóteses foram feitas, e posteriormente corroboradas por modelos de Christopher Chyba e outros pesquisadores, de que é possível que a passagem do asteroide pela atmosfera teria provocado pressões e temperaturas tão altas que ele tenha sido completamente desintegrado, a energia do impacto toda liberada na atmosfera e o material espalhado na alta atmosfera explicaria os brilhos noturnos observados na Europa. A explosão poderia ser explicada pelo ângulo de entrada na nossa atmosfera e o intenso calor que gerou uma fissão nuclear com a presença do objeto com a nossa atmosfera. Em estudos recentes do ano de 2013, após análise profunda do solo, indicam que há resquícios que houve uma camada de gelo no subsolo dando a entender que o cometa poderia ter um núcleo de gelo, que se desintegrou completamente ao chegar ao solo.

Abaixo a região no Google maps (não tem como dar muito Zoom no local)

Exibir mapa ampliado

Curiosidade: Há um jogo de Nintendo Wii que aborda o assunto: Cate West The Vanishing Files. Um joguinho bem legal, daqueles antigos de investigação “Point and Clic”. Vale a pena dar uma olhada.

E … pesquisando na net novas informações para passar para vocês descobri um caso semelhante que ocorreu no Amazona… ahaha… uando souber mais informações divido com vocês.

Share