As Corporações de Ofício

Share

Durante a baixa Idade Média, após o surgimento da burguesia e dos burgos a Europa vai passar por uma enorme transformação devido ao surgimento do comércio. Mais do que somente compra e venda as atividades comerciais deram suporte para surgir atividades de produção voltadas para o comércio, ou seja, surgirão os profissionais dedicados unicamente para criar produtos e vende-los no comércio.

Esses grupos são formados por Artesãos. Por definição, artesão é todo o profissional que produz algo artesanalmente. Digo isso pois artesanato não quer bijuterias ou objetos de arte e sim à forma na qual ele é feito, um a um e com um profissional que é responsável por toda a produção do objeto. Vamos discutir um pouco mais sobre isso a seguir.

Artesanato

Na forma de produção conhecida como Artesanato temos um profissional que sozinho é responsável por toda a produção. Por exemplo, na idade média um sapateiro que artesanalmente faz seu sapato ele cortava a madeira para fazer a sola do sapato… ele lixava a madeira… ele cortava o couro da vaca e deixava secar… ele costurava e pregava o couro e somente depooois disso tudo ele tinha um sapato pronto. Hoje, chamamos de artesanal algo que foi feito a mão e sem o auxílio de máquinas.

Manufatura

A manufatura resultou da ampliação do consumo, que levou o artesão a aumentar a produção e o comerciante a dedicar-se à produção em maior quantidade. O manufatureiro distribuía a matéria-prima, contratava os artesãos para trabalhar cada um em uma parte da produção. No caso do sapato, parece como nossas pequenas fábricas de sapato, onde sem máquinas, um artesão trabalhava cortando a sola, outro o couro, um terceiro poderia terminar fazendo a costura, no fim das etapas, surgia um sapato pronto.

Corporações de Ofício

CorporaçõesOs donos de manufaturas formavam uma classe nova e aos poucos começaram a criar suas próprias associações. Essas associações surgiram para reunir os criadores de um mesmo tipo de produto para organizar e padronizar as atividades. Essas associações foram chamadas de corporações de ofício. As corporações reuniam os comerciantes e artesãos que se envolviam na fabricação e venda de um mesmo tipo de produto. Visando a garantia de ganho para os seus integrantes, uma corporação tinha poderes para tabelar os preços referentes à mão de obra e a matéria-prima empregada em um processo de fabricação. Além disso, tomavam todo o cuidado para que a fabricação seguisse determinados padrões de qualidade e combatiam a falsificação de mercadorias.

As corporações formavam grupos poderosos que controlavam os preços das mercadorias que vendiam. Além disso, proibiam que pessoas não associadas à determinada corporação tivessem autonomia para realizar a fabricação de um mesmo produto fora de suas exigências. Dessa forma, a concorrência comercial era combatida e os mercados consumidores devidamente preservados.

As Corporações de Ofício eram ambientes também de aprendizado do ofício e de estabelecimento de uma hierarquia do trabalho. A própria organização interna das Corporações de Ofício era baseada em uma rígida hierarquia, composta por MestresOficiais e Aprendizes. Quando alguém pleiteava fazer parte de uma Corporação de Ofício, obrigatoriamente sua entrada ocorria na categoria de Aprendiz. Este não recebia salário por suas atividades e estava lá para aprender. Moravam com seus mestres e muitas vezes casavam com suas filhas. O aprendizado poderia durar até doze anos e só depois que o Aprendiz atingia a condição de Oficial.

Os Oficiais passavam um tempo exercendo o que foi aprendido. Para chegar à condição de Mestre era preciso passar por uma prova e pagar uma taxa. O rigor podia variar nas regiões, mas ao chegar mais perto do fim da Idade Média apresentava-se cada vez mais difícil conquistar o posto de Mestre. Os membros mais ricos passaram a ter um domínio sobre as corporações e a ascensão acabou ficando restrita praticamente aos familiares. Já os Mestres eram os donos das oficinas, das ferramentas, das matérias-primas e do conhecimento. A posição de Mestre era muito gratificante socialmente e economicamente e por isso tão almejada.

Todas essas mudanças aos poucos mudaram completamente o antigo mundo medieval. Digo aos poucos pois ainda nesse momento os nobres eram os mandantes da sociedade e seu poder não era centrado nas atividades comerciais tal como os artesãos das corporações de ofícios e sim na posse da terra e no controle de servos. As diferenças entre o modo de vida de comerciantes e artesãos, também conhecidos como burgueses e os tradicionais nobres vão resultar em terríveis disputas que marcarão o fim do tradicional mundo medieval.

Share