América Pré-Colombiana

Share

Chama-se de América Pré-Colombiana o período da história do continente americano antes da chegada de Cristóvão Colombo, o navegador genovês que ficou famoso por “descobrir” a América. O problema é que foram os europeus que descobriram a América, pois ela já era habitada por cerca de 50 milhões de pessoas, que durante muito tempo pensou-se que eram tribos indígenas sem qualquer forma de centralização política. Um pensamento muito errado pois existiram grandes impérios como o Asteca, Inca e Maia. Astecas e Maias organizaram-se na região da Meso América, atual América Central, hoje território do México, enquanto os Incas organizaram-se na costa Oeste da América do Sul, onde hoje ficam países como Peru e Chile. Vamos nos concentrar em apenas dois, os Astecas e Incas.

A primeira civilização da América do Sul provavelmente foi a Chavin, entre os séculos X e III a.C., mas indícios da primeira grande civilização apontam para 1300 a.C. com a civilização Olmeca.

Astecas

Os astecas eram um povo cuja a principal atividade econômica era a guerra, desde a sua chegada na ao lago Texcoco, onde hoje fica o México, procurou rapidamente dominar as outras civilizações próximas à sua capital Tenochtitlán formando assim rapidamente um grande império. Essas tribos dominadas tinham que pagar tributos aos chefes astecas na forma de produtos como ouro e cacau.

A guerra era além de uma forma de impor seu domínio para os povos mais fracos, era também uma forma de agradar aos seus deuses, pois através dos sacrifícios humanos, que vinham principalmente dos derrotados em guerra e escravos, acreditavam estar renovando o laço com os deuses e com os homens. O derramamento do sangue humano durante os sacrifícios era extremamente sagrado.

A religião Asteca era politeísta com deuses diversos como Quetzalcoatl, deus do vento, escrita e artes; Thaloc, deus da chuva e do trovão e outros. A população era extremamente religiosa, como podemos perceber nas pinturas em tecidos, jóias, vasos e outras formas de produção artesanal como mosaicos, utensílios de cerâmicas diversos como utensílios de cozinha.

A agricultura era a principal atividade econômica, cultivando gêneros como milho, feijão, algodão e outras frutas e verduras. O algodão, era uma importante matéria prima para a confecção de tecidos, demonstrando outra importante atividade que era o artesanato. Composto de artesões competentes, que trabalhavam em casa ou em oficinas, e muito bem remunerados.

Entre os conhecimentos da civilização podemos estacar uma escrita pictográfica (sistema de escrita que utiliza cenas figuradas ou simbólicas para expressar idéias). Também possuíam um extremo conhecimento de astronomia, que era utilizando para as diversas atividades do dia a dia. Como na agricultura (que era regulada pelo calendário lunar) e na engenharia (baseavam-se nos astros para medir e orientar as construções, tanto que as cidades são todas alinhadas com as estrelas). Por fim, onde não conseguiam cultivar agricultura, faziam terraços flutuantes sobre a água onde depositavam terra do fundo do lago (que é extremamente fértil) para poder plantar nessas terras. Esses terraços eram chamados de chinampas.

Inca

Os incas chegaram às terras da região de Cuzco, atual Peru, no final do séc. XIII, formando um império tão extenso que ficou conhecido como “Terra dos Quatro Cantos” (Tahuantinsuyu) por ocupar territórios como os atuais Equador, Chile, Peru, Bolívia e Argentina.

Ao contrário dos astecas, o povo Inca cobrava tributo dos dominados em forma de trabalho, muitas vezes forçando os dominados em guerras para outras regiões onde seus trabalhos seriam utilizados para reforçar o império onde houvesse maior necessidade como na agricultura ou na defesa do território. Os dominados eram constantemente vigiados a fim de evitar revoltas pelo numeroso exército Inca. Para garantir o sustento eles trabalhavam nas terras do Sol e do Estado, conhecidas como Ayllu.

A tecnologia também era muito eficiente. A astronomia era uma base científica importante, com um calendário regido pelo sol (tal como o nosso) e a utilização de relógios de sol para medir as horas do dia. O império era recortado por estradas que escoavam a produção agrícola, exércitos e comunicações. Nos conhecimentos de engenharia, construíram grandes represas e técnicas de irrigação para auxiliar na agricultura que era cultivada nas encostas dos terraços, em forma de escada recortados nas paredes da montanha. E, para garantir a eficiência do exército, um grande conhecimento de metalurgia.

Como cidade mais importante temos a cidade de Machu Picchu, que foi uma das poucas cidades incas que sobreviveu à conquista espanhola, provavelmente por não ter sido descoberta na época da conquista espanhola justamente por não estar desabitada. A cidade foi reencontrada em 1911 pelo explorador Hiram Binghan.

A conquista Asteca pelos Espanhóis

Não demorou muito para que os espanhóis percebessem que existiam civilizações ricas para serem exploradas nas terras americanas. Muitos aventureiros movidos pela ambição buscaram tomar proveito dessas civilizações como foi o caso da Asteca que foi facilmente dominada pelo explorador Hernán Cortez.

Cortez conquistou os astecas com relativa facilidade pois soube se aproveitar de alguns pontos fracos da civilização:

  1. Óbvio, em primeiro lugar pela superioridade da tecnologia militar. Pois os espanhóis tinham armas de fogo, canhões e cavalos. Coisas que os astecas desconheciam.
  2. A ajuda de “aliados” locais. Pois os povos dominados pelos astecas contaram a localização par aos espanhóis.
  3. As doenças européias como tuberculose, varíola e a própria gripe que eram vírus que os astecas não estavam acostumados a viver, fazendo assim com que morressem com facilidade.
  4. O mais triste de todos, pois os astecas pensaram que os espanhóis eram os seus deuses que retornariam para a terra. Sendo bem recebidos pelo imperador Montezuma  e não oferecendo assim resistência à chegada dos espanhóis. Montezuma morreu de tristeza ao ver sua civilização ser dizimada pelos espanhóis.

Em três anos, os espanhóis destruíram a capital Asteca, fazendo assim com que a civilização fosse varrida do continente americano.

Pizarro e a conquista Inca

Francisco Pizarro aproveitou-se da situação onde o Sapa (chefe) Inca Huayna havia morrido de varíola. Fomentando os filhos do imperador Atahualpa e Huascar a travarem uma guerra civil e em meio à essa guerra civil ele atacou a cidade com suas armas de fogo e poderosos canhões, fazendo com que os incas fossem massacrados apesar da sua superioridade numérica. Uma a uma as principais cidades do império caíram e os sobreviventes foram obrigados a trabalhar para os espanhóis entregando todo seu ouro e extraindo cada vez mais da terra. Se os escravizados não morressem pela violência dos colonizadores, morriam pelas doenças trazidas por eles.

Bom… para finalizar.. achei no Youtube uma série do HC, Hitler Chanel… ops… History Chanel, que retrataa história de vários impérios através dos seus feitos de engenharia. Esses documentários que coloco abaixo são MUITO BONS e estão divididos em várias partes, pena que não tem sobre os Incas.

Para não fazer vários posts, resolvi colocar todos nesse post para facilitar a pesquisa. Ok.. vamos começar pelos astecas:

Construindo um Império – Os Astecas 1 de 5

Construindo um Império – Os Astecas 2 de 5

Construindo um Império – Os Astecas 3 de 5

Construindo um Império – Os Astecas 4 de 5

Construindo um Império – Os Astecas 5 de 5

Construindo um Império – Os Maias 1 de 5

Construindo um Império – Os Maias 2 de 5

Construindo um Império – Os Maias 3 de 5

Construindo um Império – Os Maias 4 de 5

Construindo um Império – Os Maias 5 de 5

Share